quarta-feira, 6 de julho de 2016

SERRA DO CARAMULO



Subir a serra 
Um dia quis subir a segunda serra.
Mais alta do meu País
Subi, saltei e contornei
Cada pedra que ali se encontra, há milhões
De anos, pensei que estavam à minha espera
Tão certinhas e alinhada umas há outras.
Mas de repente, e com as forças a reclamarem,
Sentei numa delas,
 senti que algo murmurava aos meus ouvidos

era a voz do silêncio que me segredava
descansa e deixa tudo como estava, “como se eu
fosse capaz de carregar com alguma delas.”
Um dia voltarás e na mesma encontrarás o alívio
Do teu cansaço.
Vim embora, ainda com aquela voz no ouvido
Passados
 Longos anos digo de mim, para mim adeus rochedo
Fica em paz com a tua beleza, que eu jamais
Voltarei aqui para te importunar,
De cada vez que lá fui encontrei a paz para a minha
Meditação, e talvez dai em diante a meditação
Está muito longe de mim.

(como todas as pedras tem
grande significado na vida de todos nós)


Sem comentários:

Enviar um comentário

O consolo de ter um amigo poderá ser-nos roubado,
mas não o facto de o termos tido.